Tapetes Clássicos

Bokhara Paquistanês

As principais características dos tapetes Bokhara Paquistaneses são: o clássico desenho turcomano conhecido como “pata de elefante”, desenho continuo e sem medalhão.

O desenho pata de elefante, por ser de fácil reprodução, foram os primeiros desenhos a serem copiados pelos Paquistaneses; Tapetes Bokhara ou Karashi são produzidos 100% à mão, sua produção é de superfície em 80% lã mercerizada e urdidura (amarração) 20% em algodão, sua produção é de cores e detalhes variados, enquanto os Turcomenos são confeccionados 100% em lã, com os tons de vermelho predominante.

Procedência Paquistanês
Técnica Feito à Mão (Artesanal)
Altura aproximadamente da superfície 10mm
Composição Lã sobre algodão

Mahi

Inspirado nos tapetes persas Tabriz Mahi e Tabriz Royal, a coleção Indo Tabriz ou Indo Mahi reproduzem os desenhos de um dos tapetes persas mais tradicionais e valorizados do mercado Iraniano (antiga Persia)
Essa produção pode chegar a mais de um milhão de nós por mt² seu desenho é tão rico em detalhes, que na maioria das vezes, são produzidos por mulheres e jovem para então detalhar sua representatividade.

Os tapetes Tabriz Mahi podem chegar a ter expressivos 40 50 ou até 60 nós por cm² dependendo de sua manufatura, na maioria das vezes sua confecção é de 80% lã e 20% algodão, mas podemos facilmente encontrar tapetes com contorno em seda, isso o torna ainda mais valioso, podendo acrescer em 20% sobre o seu valor de mercado.

O desenho Mahi é considerado um Clássico, seu desenho traz um floral estilizado, além de sofisticação, traz um ar de poder e elegância.

Procedência Índia
Técnica Feito à Mão (Artesanal)
aproximadamente da superfície 14 mm
Composição Lã e Algodão

Nain

Como todo e qualquer tapete tecido dentro do Iran (antiga Pérsia) Os tapetes recebem o nome da cidade onde eles são tecidos ou comercializados. Nain é uma cidade produtora de tapetes florais com desenhos usando sempre ou na maioria das vezes, arabescos, desenho esse conhecido por Cha Abbas, O tapete Naim surgiu à pedido direto do então governante Cha Reza Pahlevi que gostaria de expor toda a beleza e prosperidade que seu país vivia naquele momento; O Cha que amava a cor azul, sugeriu a seus tecelões que assim o fizesse, então na década de 50 e 60 nascia o tapete Naim, que na maioria das vezes tem os três tons de azul predominante e todo seu desenho leva o contorno em seda, seu nó e o nó senneh, ou farsbâf (também conhecido por “persa”) e pode ter entre 37 e 120 nós por centímetro²

Sua tessitura na maioria das vezes é de lã sobre algodão, lã, seda sobre algodão, e para os tapetes mais finos como os Nain extra fine ou até mesmo o fora de serie Nain Habbibian com sua lã kork (extraída do peito da ovelha) e sua urdidura em seda traz com sigo um tapete exuberante, muito rico em detalhes e chega a possuir 80 a 120 nós por cm²; Vale lembrar que um tapete Nain Habbibian é tecido sempre e somente por uma única pessoa, pessoa essa pertencente a família Habbibian, e quando esse tecelão, não consegue finalizar essa verdadeira obra de arte, a mesma permanece inacabada, por sinal de respeito ao mesmo e suas crenças.

Procedência Iran
Técnica Feito à Mão (Artesanal)
aproximadamente da superfície 10 mm
composição Lã e seda sobre algodão

Zigler

O tapete Ziegler tem sua produção em duas regiões bem distintas umas das outras, pode ser encontrado no Paquistão ou na India, essa peça tem características próprias que envolvem desenhos florais com tons mais ocidentalizado de linhas mais pasteis, seu desenho além de floral, tem um campo central mais aberto e menos e barrado mais solto, dando um ar de leveza.

Procedência Índia ou Paquistan
Técnica Feito à Mão (Artesanal)
Altura aproximadamente da superfície 10 mm
Composição Lã sobre algodão

Tamanhos dos tapetes:

0,70×1,00
0,70×1,20
1,00×1,50
1,50×2,00
2,00×2,50
2,00×3,00
2,50×2,50 (redondo e quadrado)
2,50×3,00

2,50×3,50
3,00×3,00 (redondo e quadrado)
3,00×4,00
3,50×4,50
3,00×5,00
4,00×5,00
4,00×6,00
4,00×7,00
5,00×7,00

Passadeiras:
0,80×1,00
0,80×1,50
0,80×2,00
0,80×3,00
0,80×4,00